sábado, 15 de outubro de 2016

Salieri

Tudo que há são interpretações armadilhadas
ao teu cuidado
e ao teu ser devorador
pois devoras o meu amor
e ele não pára de crescer
e tu não paras de o comer.

Não fosse a vida um longo corredor de verbos
e nós sem nomes
e tudo cairia no sítio certo.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Chave

Sofri cofres, 
Sofri desejos amorfes 
para chegar até aqui, 
mas os sentidos quiseram o céu. 

Ainda o caminho era longo 
e já eu era um ditongo 
de uma palavra de mar, 
impossível de soletrar. 

Por isso sonhei fontes, 
sonhei sonhos ardentes.
Não me desapontes, não consigas por muito que tentes. 
Não tentes o que sonhei para chegar aqui. 

Mas pois senão que um mas a olhar para o lado, 
um mas quase perdido, quase desesperado, 
Mas não de oposição. 

[interlúdio musical]

Mas os sentidos quiseram o céu... 

Ainda o caminho era extenso 
e já eu era um lenço 
a acenar adeus ao mar 
impossível de navegar. 

Mas pois senão que um mas a olhar para o lado, 
um mas quase perdido, quase desesperado, 
Mas não de oposição: 
Um mas de concessão, 
um mas de não ser capaz; 
O admitir e seus ecos de paz.